10 outubro 2011

curiosidades sobre o crochet

Lembram-se quando falámos sobre o crochet aqui?
Na altura comentei as utilizações do crochet na Arábia, na América do Sul  e na China. Infelizmente, ainda não tive oportunidade de procurar muito mais sobre o assunto.
Perdi-me à procura da revista Penelope e investi muito tempo aí. Mais uma vez as minhas tentativas de encontrar algo, não passaram de tentativas. Mas ainda não desisti. Apenas não falarei dela, para já.

Entretanto, no século XIX, na França (exemplos de moda em Paris, do século XIX, podem ser vistos, aqui), Reino Unido e na América, o crochet era um substituto mais acessível do que outras formas de renda. As razões para isso são simples: o algodão era mais barato, era mais fácil de ensinar e muito mais rápido de se realizar do que a renda de bilros.

Abaixo vemos um exemplo de renda francesa do século XIX.


A imagem foi encontrada online.

Já na Irlanda, o crochet foi uma forma de comunidades inteiras conseguirem sobreviver e encontraram na prática do mesmo uma forma de sustentabilidade de comunidades inteiras.

Durante o período da Grande Fome Irlandesa, freiras ursulinas ensinaram mulheres e crianças. Os trabalhos eram adquiridos pela classe média emergente, normalmente, por motivos de beleza mas igualmente por questões caridosas.

Imagem que retrata um momento da Grande Fome Irlandesa

Apesar do momento histórico, a beleza da moda da época é sem dúvida de louvar. Alguns exemplos são:


Imagens encontradas online

No ínicio do seculo XIX, surge a Madame Riego de la Branchardiere, que através da publicação de gráficos e instruções para renda de bilros e renda de agulhas, demonstra que a execução do crochet é uma arte para todos, independente da classe.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Conhecer a sua opinião é importante para nós em Pingos do Céu.
Obrigado por deixar o seu comentário.