18 maio 2011

O teste da árvore

Estive a ler um livro sobre madeira, tipos de madeira, utensilios de talha, entre outras coisas...
Numa espécie de introdução sobre madeira, o escritor dá asas à sua imaginação e escreve:

" No nosso subconsciente, num recanto do nosso sentir, cresce uma árvore. A estrutura da nossa personalidade tem forma de choupo, de carvalho ou laranjeira. Se finca desesperadamente as suas raízes, o seu tronco produz nós ou o vento da nossa nostalgia arrasta os seus ramos. Talvez a nossa árvore interior deite raízes serenas, cresça de forma proporcionada e a sua copa se ofereça ao futuro.

Outrora, o nobre demonstrava as suas raízes através de uma árvore geneológica. Hoje, o psicologo radiografa o nosso caracter e dá-lhe forma de árvore. Ontem e hoje, a alma do poeta funde-se com a do olmo, a do pinheiro ou a da oliveira. O escultor que se atreve a ferir a madeira tem um encontro eludivel com a corporalidade do cedro, da teca ou do coral que se oferece. Se for sincero, afiará as suas goivas à sombra de uma árvore, da sua própria árvore.

Na árvore estão todas as maneiras de sentir: a força da sequóia milenar; a languidez do salgueiro; o sentimentalismo defensivo da acácia, de folhas alegres na aurora e aguilhões vigilantes de noite; a frondosidade do alámo; a solenidade do cipreste, sombria nos cemitérios, mas hospitaleira no Alhambra; a paz aromátiva da tilia.

Na árvore está o pulsar do tempo: no Inverno, a amendoeira reveste-se de neve perfumada e lembra a Primavera; a cerejeira festeja-a, a macieira explode em turbilhões de frutos no Verão; a faia ganha colorido no Outono; o abeto enfeita o Natal.

Na árvore encontram-se as idades do homem: a ternura do pequeno rebento; a pujança da juvenil Primavera; os frutos reais da idade adulta; o cair da folha ...

Na árvore encontram-se também todas as formas possíveis: o redondo da azinheira solitária; o cone perfeito do cedro, o fuso do cipreste ...

A árvore, como a pessoa, como os povos, pode ser educada, manipulada, explorada ou violentada. "

Fonte: A talha - Escultura em Madeira, Colecção Artes e Oficios, Editorial Estampa.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Conhecer a sua opinião é importante para nós em Pingos do Céu.
Obrigado por deixar o seu comentário.